Recent Posts
Please reload

Archive
Please reload

Sua saúde é realmente importante pra você?

May 27, 2018

 

 


A população brasileira é a que mais sofre com depressão na América Latina. O Brasil é o país que tem a maior taxa de transtornos de ansiedade do mundo de acordo com a Organização Mundial de Saúde (OMS). Em seis anos, houve um salto de 74% no número da venda de antidepressivos. Sem contar o número absurdo de pessoas que tomam remédios para estômago, dores de cabeça e laxantes todos os dias.


E você? É daqueles que varre a sujeira pra debaixo do tapete ou procura formas de resolver o problema?

Existem doenças de várias origens e tipos. Depois de muitos estudos pude concluir que todas elas possuem uma coisa em comum: o desequilíbrio químico do corpo. Desequilíbrio causado pela constante cultivação da acidez do organismo, que é causada por alimentos indevidos, excessos de resíduos físicos, psíquicos e emocionais. Processo de uma auto-intoxicação profunda.


Esse estresse é causado por nós mesmos a todo momento que expomos nosso corpo a possíveis inflamações. Desde situações que mexem com nosso emocional e psicológico até os produtos químicos que passamos na pele e no cabelo ou até mesmo pela respiração poluída.
Mas o mais importante: pela alimentação intoxicada que condicionamos nosso organismo ao longo dos anos. Esse processo constante de intoxicação esgota as reservas alcalinas do nosso corpo, permitindo que doenças, sintomas, desconfortos, patologias e tristezas se instalem.

Antes de iniciar uma solução pra esse problema, é preciso que algumas perguntas sejam feitas. Você está feliz com seu estado de saúde? Com sua disposição, com seu desempenho no trabalho ou nos estudos? Você tem o corpo que gostaria, a paz emocional que deseja e a imunidade que precisa para uma boa saúde?

 

​Foto: Google

Se não, algo precisa ser feito. O corpo emite pequenos sinais de que não está satisfeito com o tratamento que está sendo dado a ele. Como:


- Problemas digestivos
- Imunidade fraca
- Alergias de pele ou alimentares
- Intestino que não funciona
- Falta de energia
- Insônia
- Ansiedade excessiva


Todos esses são sintomas fracos, mas comunicados do nosso corpo de que algo não está bem. Camuflar ou interromper esses sinais com soluções imediatas não resolve o problema. Às vezes piora. O corpo se inflama mais e fica cada vez mais intoxicado.

Existem várias formas de contornar situações como essas enquanto ainda há tempo. A grande maioria das pessoas espera um grande alarde do corpo pra tomar uma atitude em relação à própria saúde. Você pode iniciar seu processo agora fazendo o básico, como parar de intoxicar seu corpo e sua mente com alimentos, pensamentos tóxicos e medicamentos desnecessários.

 

 Foto: Google



Para a Ayurveda o processo de desintoxicação é essencial para que o corpo reaja aos efeitos positivos da introdução de novos hábitos. Muitas vezes só nos tocamos do quão intoxicados estávamos quando nos desintoxicamos. E percebemos o quanto o estado letárgico (ou fraco e confuso) que estávamos anteriormente definitivamente não era nosso estado natural.


Como no caso de uma paciente, que viveu 20 anos de sua vida tomando medicamentos para o estômago e calmantes em doses altíssimas todos os dias. Até que ela passou pelo processo de desintoxicação 4D. Pôde, então, desintoxicar seu organismo e entender o gatilho emocional que ocasionava sua inflamação intestinal.


Em menos de 3 semanas ela havia largado todos os remédios. Já não faziam mais sentido para o seu corpo e sua mente.

Se você quer melhorar o estado da sua saúde física, psíquica e emocional, você precisa primeiramente entender como seu corpo funciona. Quais são os melhores alimentos e práticas que te trarão mais bem-estar, formas de dominar as suas emoções e pensamentos, pra que elas parem de dominar você. Grande parte das doenças físicas se iniciam na mente. Para resolver essas situações a desintoxicação ayurvédica emocional do programa Detoz 4D pode te ajudar.

 

Para mais informações de como ter acesso a esse programa envie seu e-mail: assessoria@xandafogaca.com

Namasté,

Xanda.  

Share on Facebook
Share on Twitter
Please reload